11/03/2008

Cerro da Cabeça

[Forum Ambiente jornal ● nº 16, Mar. 95]

Cerro da Cabeça
Um espectacular megalapiás


Ladroeira Grande @ P. Cuiça (2008)

Ladroeira Grande (Algarve) © Pedro Cuiça (1994)

O Cerro da Cabeça, a 250 metros de altitude e a poucos quilómetros de Moncarapacho, no Algarve, tem o mais espectacular megalapiás da região. Um verdadeiro geomonumento.

Se já passou pelo sotavento algarvio concerteza que não ficou alheio ao panorama dos montes da Serra de Montefigo que se estendem, de nascente para poente, sobranceiros ao litoral. Essa serra começa, a este, por uma pequena elevação que passaria despercebida face ao comparativamente grande Cerro de S. Miguel (410 m) não fosse a sua superfície estar coberta de rochedos.
É um panorama diferente aquele que lhe propomos ao sugerir que visite o Cerro da Cabeça (249 m), situado a cerca de 2.5 quilómetros a nor-nordeste de Moncarapacho, um dos locais mais pitorescos da região algarvia. Com efeito, o terreno essencialmente rochoso e muito acidentado associado a uma flora variada típica do barrocal constituem um elemento de grande beleza paisagística. Neste cerro, um verdadeiro geo-monumento, encontra-se o mais espectacular megalapiás do Algarve, onde dominam os grandes dorsos de superfícies arredondadas, relevos cónicos e pedunculados, torres e blocos, distribuem-se densamente por toda a elevação.
O trabalho erosivo das águas de escorrência sobre as rochas carbonatadas não se limitou, no entanto, a modelar esse peculiar relevo ruíniforme, pois a profusão de cavernas aí existentes revelam a importância do seu oculto mundo subterrâneo. De facto, o Cerro da Cabeça é a zona onde existe maior número de grutas no Algarve, algumas delas de grande interesse zoológico e arqueológico, para além de aí se situarem as cavidades mais profundas da região (Algar Maxila e Algar Medusa com 95 e 78 m de profundidade, respectivamente). Estas características geomorfológicas fazem com que o Cerro da Cabeça seja ideal para a prática de “espeleologia” e de bouldering (escalada de blocos), no entanto, também se poderá, como é óbvio, apreciar este cerro de um modo menos “radical” através de um simples passeio.
Subindo pela escadaria que dá acesso aos restos do que já foi um miradouro, situado na vertente sul dessa elevação, poder-se-á abranger uma ampla panorâmica do litoral algarvio, desde Vila Real de Santo António até para além de Faro. A estrutura de betão e metal que se irá encontrar no caminho de terra que liga à dita escadaria é o resultado da desastrosa tentativa de abertura ao turismo da Gruta da Senhora, da qual resultou a destruição dessa cavidade. Mas não desanime. Apesar de nesse cerro já se verificar a actuação nefasta do homem, esta ainda não é muito marcante (pelo menos à superfície), exceptuando a pedreira situada na base sul-sudeste e alguns locais pontuais em que se verifica a existência de lixo. Se você é daqueles que gosta mesmo de andar a pé, vá até ao marco geodésico, no alto dessa elevação, e deslumbre-se com um pôr-do-sol a enquadrar a silhueta do Cerro de S. Miguel a oeste, as ilhas barreira da Ria Formosa a sul, a planície litoral que se estende até terras de Espanha a este e as colinas carbonatadas a norte. De regresso à base do cerro, contemple a transmutação do ambiente que se processa com o anoitecer. Se tiver sorte de estar Lua cheia, sinta a sacralidade do local que nos remete aos tempos remotos em que os nossos antepassados do paleolítico dormiam à luz das estrelas.
Actualmente, o Cerro da Cabeça, propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Moncarapacho, encontra-se ao abandono, sujeito aos mais diversos actos de vandalismo ambiental, o que se reflecte em especial nas grutas aí existentes e a nível da fauna e da flora. O grande valor ambiental que essa elevação encerra aconselharia a sua conservação urgente classificando-a como área protegida. Até lá, aproveite para a visitar, antes que seja tarde, mas não se esqueça: “não tires mais que fotografias, não deixes mais que pegadas”.

2 comentários:

António Gonçalves disse...

conheci o serro da cabeça quando tina 10 anos. Passava 2 meses de verão a apanhar todas as alfarrobas da propriedade.´Tive a sorte de ver muitos texugos a brincar ...

PP disse...

Só ontem 22.7.2009, conheci o Cerro da Cabeça. Desde 2005, altura em que comprei o livro "Portugal Pé-ante-pé" que tinha curiosidade de o fazer. É verdade que continua tudo ao abandono e a parte final do caminho entre o miradouro e o marco geodésico está cheia de mato, assim como o forno da cal. A vista é muito bonita e é uma pena este local não ser aproveitado para o turismo de natureza e protegido o seu património.
Aproveitei o facto de estar ali para colocar algumas pedras a marcar o caminho, especialmente o de regresso do alto do Cerro. Aconselho a caminhada e se possivel contactem alguém ligado ao clube de espeleologia do Algarve, para visita a alguma das várias grutas existentes.